–> Morte de aluno na FEA deixa sociedade indignada. Alunos clamam por segurança e aproveitam para externar seus preconceitos!

Já vou começar chutando o pau da barraca. ACOOOOOOOOOORDA estudante!!! A USP não é o cenário do filme Xuxa e os duendes, não… Você não está fora de São Paulo por transpor o P1! Pronto desabafei! Agora vou explicar.

Seguinte, quando entrei na universidade eu também tinha esse pensamento que já faz alguns anos eu sou contra. Parece que todo mundo, quase todo mundo, na verdade, que estuda na USP ou a frequenta pensa estar num bosque encantado, pós-final de filme, uma vez que ele está repleto de fadas, duendes e seres místicos que já venceram a bruxa má. Até os filmes infantis são mais realistas que essas pessoas, pois neles, até o fim tem alguém do mal para colocar os bonzinhos em perigo.

Eu entendo que a USP possua uma aura branca cintilante que ilude as pessoas, mas já tá mais do que na hora de todo mundo cair na real para perceber que sim, a USP ainda está em São Paulo e sofre, portanto, com muitos dos problemas que acometem a cidade como um todo, haja vista o caos que é o transporte coletivo! Mas isso eu posso discutir outro dia. Hoje eu quero falar sobre a morte do feano quarta-feira.

Primeiro que, pra você que ficou surpreso bem vindo à USP. Não é o primeiro nem o último caso de violência dentro do campus, embora eu concorde que tenha sido bastante chocante. Claro n, dessa vez pisou no calo da camada majoritária da sociedade. Sim, porque, outro dia morreu um aluno por omissão de socorro e logo todo mundo esqueceu. Afinal, o cara era tudo o que a sociedade rejeita: preto, pobre, nordestino, morador do CRUSP, tinha mais de 40 anos e não constituiu uma família e ainda estudava Filosofia. O que ele poderia acrescentar à sociedade além de despesa né? Deixa morrer, um a menos. Mas agora não, o filho que morreu é da classe média, estudava para contribuir ao mercado e foi vítima da barbárie urbana. Meu Deus, que horror!

Não, eu não sou a favor de rechear o campus com PM lá dentro. E antes que você diga: “Olha aí, mais uma fflchiana maconheira, fedida e peluda que quer fumar o baseado em paz, longe da polícia”, eu digo que tenho medo da PM sim, mas não porque faço algo ilícito. É porque, seu estereótipo não me cabe… Não fumo maconha, não sou fedida e não sou peluda. Também não sou socialista ou comunista, não sou militante política. Mas isso não impede que eu critique a sociedade sem cair no lugar-comum e perceba que sim, o capitalismo é a causa de quase todos os problemas que a gente vive atualmente. Sim, eu sou de esquerda. E isso não significa lutar pela ditadura do proletariado, caso você não saiba.

É muito fácil sair por aí entoando estereótipos, clichês, lugares-comum e conceitos pré-estabelecidos… Difícil é discutir as questões sociais sem medo de ser afetado, sem medo de perder o bem bom (como escreve isso? Tem hífen?), sem criticar a mais-valia praticada pela empresa do papai. Sim, na USP tem de tudo e em todas as faculdades, seja na FFLCH, na FEA ou na POLI, tem de tudo. Rico, pobre, muito rico, muito pobre, revolucionário, reacionário, apolítico, ateu, católico, evangélico, budist,a macumbeiro, umbandista e assim vai… Claro que as proporções é que são diferentes.

Tenho medo da PM porque ela é, em sua maioria, despreparada, mal remunerada, truculenta e violenta. Abusa do seu poder frequentemente, e se esconde atrás da farda para cometer as mesmas atrocidades que você, sociedade, tanto condena. Até a mídia já se rendeu aos fatos e, de vez em quando, noticia algo do tipo. Acorda, sociedade! Perdeu essa parte do Jornal Nacional? E, por favor, não venha me dizer que quem tem medo de polícia é bandido. É um clichê tão descabido que me dói o coração. Eles, muitas vezes, são amiguinhos, coleguinhas de trabalho que riem da e na sua cara. Só você não percebe. Você, cidadão comum, deveria temer a polícia sim, a menos que você tenha a graninha do suborno. Já disse Renato Russo que a polícia é composta por “assassinos armados uniformizados” e que eles sabem que não haverá problema, pois eles estão do lado da lei.

Tem noção do que é isso? Eles estão do lado da lei! Sim, porque o capitão Nascimento NÃO existe!!!!!!! E são poucas as pessoas que estão dispostas a condenar seus pares… Sabe que o caldo sempre pode entornar pro lado deles né?!!! Também não sou a favor de cercar a USP, mesmo você não querendo, ela é um lugar público. E se você vier me dizer que o problema da universidade é ser frequentada por pessoas das comunidades carentes dos arredores, daí, meu amigo, nem Deus me impede de chamar-lhe reacionário!

Fora a querida mídia… Tiveram a cara de pau de comparar as estatísticas da violência entre janeiro e maio. Ó meu Deus, alguém avisa esse povo que em janeiro não tem aula e, portanto, o número de frequentadores é bem menor. Não faz sentido comparar dados de circunstâncias diferentes. Mas é conveniente né?!

Qual a solução? Na realidade eu não sei bem. É fato que o campus precisa ser melhor iluminado. PM não é a solução pra nada nessa vida! Não do jeito em que ela se encontra atualmente.

E, você, feano, que tá falando um monte de bobagem nas redes sociais, xigando nós da FFLCH e dorme ao lado de uma calculadora científica, aprende a escrever, pelo amor de Deus! Concorde o plural e saiba que o termo “há”, do verbo haver, tem “h” e acento agudo!!!!!!!

PS.: Eu detestei o título do post, se você tiver uma sugestão, deixe nos comentários.

———————————————————————————————-

Eu vou explicar porque parece que algumas pessoas se esqueceram de uma regra da gramática. Quando formamos uma frase e colocamos algo entre vírgulas, indicando uma qualidade, geramos uma forma excludente. Ou seja, quando me referi a feanos no último parágrafo, referi-me apenas aos que “tá [tão] falando um monte de bobagem nas redes sociais, xigando nós da FFLCH e dorme [dormem] ao lado de uma calculadora científica”. Não disse que todos os feanos são assim (o que contradiria a mim mesma alguns parágrafos anteriores), mas que o que diria posteriormente cabia apenas aos feanos que se adequassem às características descritas entre vírgulas. E não venham agora me dizer que não tem feano assim porque daí é demais né? É a mesma coisa que dizer que não tem fflchiano comunista! Entenderam agora?

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado . Guardar link permanente.

3 respostas para –> Morte de aluno na FEA deixa sociedade indignada. Alunos clamam por segurança e aproveitam para externar seus preconceitos!

  1. Destro disse:

    Lembra da greve de 2009 né?! Polícia no campus, Ensino a Distância, Brandão… Enquanto o problema era o cara e o EAD, eu me posicionava contra a greve. Mas quando a polícia entrou… sem conversa! O porquê de me posicionar sempre contra a polícia no campus é mais ou menos isso que você escreveu. Se ninguém se manifesta contra a entrada dela no campus, basta algum problema para que ela seja acionada para “resolver” o problema. E assim, reitor, governador e todos os reais responsáveis livram-se da responsabilidade de manter a integridade da nossa universidade e de seus frequentadores (que estão longe de serem só alunos, professores e funcionários, pois como você mesma disse: não há muros na universidade pública!).

    Sobre o título: acho que menos é mais. Muita palavra causa desinteresse. Mas também, quem escreve isso é um cara que normalmente não gosta dos títulos de suas músicas e poesias.

  2. ursula disse:

    o titulo deveria ser Xuxa e os Duendes
    eu adorei!!!
    de fato a usp precisa ser melhor iluminada.
    amei o texto, lindissima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s