–> And the Oscar goes to… The Cinema!

Essa frase já dizia algo pra mim antes mesmo de eu saber o que ela significava… Desde muito pequena sabia que, depois de dita, ela causava euforia em pessoas quase sempre com roupas estranhas, umas choravam, outras não, muitos sorrisos, aplausos, abraços.

Até que em 1998, quando a sensação da premiação era Titanic, eu já sabia o que a tal frase dizia e comecei a assistir anualmente a premiações. E isso com toda a dificuldade de enfrentar a transmissão da Rede Globo e uma tradução simultânea sempre sofrível.

Na realidade, sempre assisti por assistir… Uma premiação da academia não significa muita coisa pra mim… Já vi tanto filme ruim, a meu ver, ser super premiado; tanto ator ou atriz medíocres receberem um prêmio que, por muitas vezes, cheguei a preferir assistir a filmes não premiados antes dos grandes vencedores.

Quem aí não se lembra e, eu diria, até se orgulhou em ver Fernanda Montenegro na primeira fila por sua indicação à melhor atriz em 1999? E quem não se indignou ao ver Gwyneth Paltrow receber a estatueta pela atuação em Shakespeare Apaixonado? Se não bastasse o filme medíocre (no sentido original da palavra), não sou nem um pouco fã da atuação dela. Acho pobre, muitas vezes vazia, sem graça. Nada além de O amor é cego. Naquele ano, as outras indicadas foram Cate Blanchett (pela digna Elizabeth), Emily Watson (por Hilary and Jackie) e a vitoriosa de ontem, Meryl Streep (por Um amor verdadeiro). Não lamento as sucessivas derrotas brasileiras na premiação, porque, de fato, para mim, como já disse, não significam absolutamente nada; mas qualquer um percebe que Fernanda Montenegro é capaz de emocionar muito mais do que a Sra. Coldplay (sem desmerecer, em nenhum momento, a banda).

Tudo isso para dizer que a derrota de O que é isso companheiro? (em 1998), e Carlinhos Brown e Sérgio Mendes não desmerece o filme e a canção; apenas mostra que a academia ainda é muito fechada e conservadora. Posição esta, no entanto, que eu acredito que possa estar caminhando para uma mudança, lenta gradual e segura (com o perdão da expressão), talvez, mas uma mudança.

E a prova disso são duas: 1) os grandes premiados terem sido O Artista e A invenção de Hugo Cabret, filmes esses que fogem daquela mesmice de utilizar o quanto for possível a tecnologia disponível e milhares de efeitos para disfarçar a fraqueza do roteiro, a repetição do assunto, o chove e não molha de muitos atores. 2) A separação, filme iraniano, ser o vencedor de Melhor Filme Estrangeiro. Sim, os EUA abriram as pernas (com o perdão da expressão) para o Irã; provando eles mesmos, que há mais do que terroristas, assassinos, violadores dos direitos humanos e facínoras sob a benção de Alá.

A invenção de Hugo Cabret – Martin Scorsese

O Artista – Michael Hazanavicius

 A separação – Asghar Farhadi

 Ainda não assisti nenhum dos três filmes, embora pretenda fazê-lo em breve, mas pelo trailer é possível saber que Hugo é lindo de se ver, é belo, é bonito de verdade; um filme bonito. O Artista entra para a história sendo o primeiro filme mudo a receber uma estatueta desde que o Oscar existe, o primeiro em preto e branco desde A Lista de Schindler (em 1993). Ambos exaltam o cinema em si, a arte de se fazer cinema, a sétima arte dignamente. Por isso, acho que ontem o maior vitorioso foi mesmo o Cinema.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , . Guardar link permanente.

2 respostas para –> And the Oscar goes to… The Cinema!

  1. Úrsula disse:

    ai,agora me vejo obrigada a escrever sobre o oscar no meu tb! hehehe. olha, ainda nao vi Hugo, bora ver em 3d hein…mas os outros são mto bons,tenho minhas reservas qto ao Artista, apesar de bom, e Separação é incrível, apesar de nao ter visto os outros concorrentes pq nao entraram em cartaz, mas já foi o melhor filme q vi esse ano, por enqto.

    • Escreva, escreva! Vamos ver o Hugo sim!
      Acho que O Artista ter sido premiado é muito válido, não or questão de qualidade ou coisa assim, mas pelo formato “inovador”… Quem pensaria em produzir um filme mudo e Pb num mundo de Avatar? Por isso acho foda as premiações… Mesmo do Hugo, sabe. É um filme bonito de se ver…
      Quero muito ver A Separação… Sua premiação para mim é a mais foda de todas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s