–> O 11 de setembro chileno

Pouco antes do primeiro aniversário do 11 de setembro estadunidense foi produzido um longa-metragem composto de 11 curtas realizados por diferentes diretores, de diferentes países e com diferentes experiências. Lançado no Brasil com o título 11 de setembro, o filme apresenta diferentes visões e opiniões sobre um dos grandes fatos históricos do início do século XXI. Mas hoje não falarei dele. Hoje eu falarei de outro 11 de setembro, o 11 de setembro chileno.

Um dos curtas que compõe 11 de setembro foi realizado pelo inglês Ken Loach  e recupera o golpe de Estado que derrubou o presidente chileno Salvador Allende e instaurou a assassina e sanguinária ditadura militar naquele país, que mataria 30 mil pessoas e exilaria tantas outras. Em pouco mais de 10 minutos, nos é apresentado o papel que os EUA tiveram na desestabilização econômica e social do Chile, visando impedir que um governo de esquerda se firmasse na (eternamente em disputa) América Latina.

O curta apresenta um homem chileno, Pablo, que foi preso e exilado pelo regime de Pinochet e desde então vive na Inglaterra. Ele escreve uma carta aos parentes e amigos das vítimas do 11/set/2001, através da qual narra os acontecimentos em seu país e as angústias que marcam sua vida (e a de tantas outras pessoas, certamente) desde então. É difícil apontar um momento mais interessante no curta, cuja construção é toda inteligentíssima, mas acho que o uso de um trecho da fala de George W. Bush sobre o 11/set/2001 para mostrar o envolvimento verdadeiramente terrorista dos EUA no 11/set/1973 é um ponto alto. Sobretudo porque desconstroi sutilmente, mas nem tanto, a imagem dos Estados Unidos como o grande baluarte da democracia e da liberdade e afirmar a hipocrisia dos governos desse país.

A carta de Pablo é marcada pela angústia de quem viveu experiências traumáticas e termina com um apelo: “Mães, pais e entes queridos dos que morreram em Nova Iorque logo chegará o 29ª aniversário de nossa terça-feira, 11 de setembro, e o primeiro aniversário da sua. Vamos nos lembrar de vocês. Espero que vocês se lembrem de nós.”

Aqui estamos lembrando.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para –> O 11 de setembro chileno

  1. Hugo Vasco disse:

    Muito bom o texto!

    Não podemos deixar que o 11 de setembro do norte ofusque o nosso 11 de setembro.
    Allende Vive! Allende viverá!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s